Pesquisar neste blogue

sábado, novembro 14, 2009

Comichões e tratamentos de pele


O diagnóstico é de eczema numular e numular quer dizer em forma de moeda, arredondado, portanto, com grande comichão e vontade de coçar até ao limite de provocar ferida. Apareceu nas pernas, nos braços e na barriga, provavelmente com origem subterrânea na camada profunda e inconsciente, a antecipar outra qualquer emergência futura, provavelmente com origem etiológica apoiada em historiais de família, provavelmente devido à frequência de banhos e de idas a piscina, provavelmente por qualquer outra causa, pele seca, frequência de alimento ou de habitat estranho. O certo é que um homem coça-se, sente-se, vai ao médico e começa o circuito da experimentação de pomadas e unguentos, começa a rotina das análises e dos despistes de alergias, começa a frequência de conversas. E um homem coça-se, em público, sem se dar conta, de dia e à noite como se a mão lhe pudesse ser todo o alívio e as unhas um auxiliar oportunista. Não se pega nem é contagiante, pois bem, já é alguma coisa então de muito pessoal. Pode regredir e pode emergir, pois bem, será então um vizinho muito próximo a considerar umas vezes longe outras vezes quase em cima. Será de foro neurológico, do domínio do stress profissional ou lúdico, do domínio de nervos em desafio. A ser deste tipo, um homem mede os passos e de facto encontra razões que lhe podem aumentar a esfregação: desde as histórias da escola às histórias da política global, desde as pessoas muito próximas às mais afastadas, desde os casos ganhos aos perdidos, desde as angústias às aflições com primeiros e segundos e terceiros, desde os entretenimentos aqui e ali e acolá, como se toda a pressa fosse toda a necessidade. Será da idade um caracterizador seguro. Seja, transporta-se então  como se fora filho e arca-se com todo o peso que tem. A ver e a seguir com relato se for caso.

O gatinho da imagem encontrei-o em Malaca, é o chamado gato persa, que se fez para a fotografia, um dos negócios de Edward, homem de sete ofícios e animador por excelência.

4 comentários:

Sílvia disse...

Espero que melhore:)

gilda disse...

Olá, amigo. Parece que não me entendo com a net por estas bandas, pois escrevi e foi tudo ao ar. É só para dizer que lamento que esse problema tenha aparecido de novo e desejar as melhoras. Cá vamos indo por terras de casinos mas sem jogar, era o que faltava. Dentro de uns tempos vamos a Malaca e tentaremos encontrar o seu amigo. Andamos nas pesquisas de voos económicos. Que tudo corra bem por aí e beijinhos ao pessoal

Anónimo disse...

Que lindo gatinho de pêlo fofinho e bem tratado!
As breves melhoras.

Anónimo disse...

É remédio muito antigo e não lhe vai fazer mal. Água de malvas. Tem que ferver em água malvas e depois à noite lava o local da comichão com essa mesma água. Tem que fazer vários dias. Experimente.
Quanto ao gatinho estava numa jaula?

Matilde