Pesquisar neste blogue

sexta-feira, janeiro 12, 2007

Nos anos dos amigos

Marcas de viagem

falas da tendência para a fuga
tratas dessa ruga
que te queima a pele
tens a perspectiva de regresso
contra o abcesso
que te acirra o fel

dobras de carícias e brocados
colhes os recados
com um tom fiel
sentes a rodagem dos tecidos
guardas nos ouvidos
lento carrossel

sabes que o excesso
te madruga
contas os cuidados
incontidos
sonhas um progresso
que te iluda
queres novos sentidos

os dias vão ficando minguados
e os olhos festejados
mais humedecidos

1 comentário:

António Machado disse...

Li, ontem no frio do Hotel Britania em Manchester, este teu poema e senti-me num porto de abrigo.
Hoje, depois desta viagem, quando cheguei resolvi deixar aqui os meus olhos humedecidos, gratos por estas palavras que o tempo irá amadurecer.